KC Frequently Asked Questions

Geral

Horizonte 2020

No Acesso Livre do Horizonte 2020 para as Publicações Revistas pelos pares científicos foi decidido como princípio base, o que significa que se tornou obrigatório para todos os projetos.

Acesso Livre para publicações científicas revistas por pares no Horizon 2020

FP7

No FP7 houve um Guia para publicações no Acesso Livre, aplicável a aproximadamente 20% do orçamento e em 7 das áreas de investigação dedicadas. Durante as candidaturas ao FP7, a Comissão Europeia contou com duas políticas em prática sobre o Acesso Livre, o Guia da CE em Acesso Livre, e as diretrizes ERC (European Research Council) para o Acesso Livre. Estas iniciativas exigem que o Investigador forneça acesso livre aos artigos que resultem de Investigação financiada  pela CE, dentro dum período de tempo especifico.

O Acesso Livre é a disponibilidade gratuita, imediata, online de resultados de investigação sem as restrições de uso normalmente impostas pelos acordos de direitos de autor dos editores. O Acesso Livre inclui os resultados que os especialistas normalmente cedem para publicação; incluindo artigos em publicações revistas por pares, documentos de conferências e conjuntos de dados de vários tipos.

O acesso ao conhecimento, informação, e dados é essencial em investigação e educação superior; e globalmente, no progresso sustentável da sociedade. O acesso melhorado é a base da transferência de conhecimento (ensino), geração de conhecimento (investigação), e valorização do conhecimento (sociedade civil).

Fornecer acesso livre à investigação, a ambos os artigos de investigação e aos conjuntos de dados (subjacentes), não é apenas benéfico para o público, mas também para os investigadores: vários estudos indicam que a abertura aumenta as citações. A abertura também melhora a reprodutibilidade dos seus resultados de investigação – e poderá apresentar o seu trabalho a audiências novas e talvez até inesperadas.

Mais informação:

Visão geral do Acesso Livre

Existem dois tipos de modos de tornar livres publicações e dados que não se excluem: através do auto arquivamento em repositórios ou através da publicação em revistas científicas de Acesso livre.

Publicar num revista científica em Acesso Livre: pode encontrar uma lista de revistas científicas fidedignas de Acesso Livre no DOAJ. Se o editor pedir uma taxa de direitos de autor (ver também “taxa de processamento de artigos” ou TPA), pode declará-la como um custo elegível no orçamento do seu projeto. Algumas revistas científicas de Acesso Livre oferecem também a opção de arquivar os dados subjacentes ao artigo que submeter, e existem até algumas revistas científicas que  apenas publicam conjuntos de dados e os seus meta dados.

Ao auto arquivarem os seus trabalhos em arquivos digitais ou repositórios (“depositarem”), os investigadores podem tornar livres as suas publicações ou dados – Acesso Livre, mesmo que a versão publicada final não seja. Tal é possível mesmo que tenha atribuído os direitos de autor ao seu editor (embora a atribuição de direitos de autor seja frequentemente negociável se o pedir ao seu editor). Alguns repositórios apenas aceitam publicações, mas noutros também podem depositar-se conjuntos de dados, quer estejam ligados ou não a uma publicação.

O Acesso Livre é compatível com direitos de autor (copyright), revisão por pares, preservação, prestigio, qualidade, progressão-na-carreira, indexação, e outras características e serviços de apoio associados a literatura académica convencional.

Na sua Politica Acesso Livre para o Horizonte 2020, a Comissão Europeia pede explicitamente que se deposite o trabalho num repositório e que seja tornado em Acesso Livre (após um embargo se necessário) – independentemente de ter sido ou não publicado num revista científica de Acesso Livre.

Uma novidade no Horizonte 2020 é o Guia de Investigação de dados livres que pretende melhorar e maximizar o acesso e a reutilização de dados de investigação gerados por projetos. Será monitorizado com vista a desenvolver a politica da Comissão Europeia em dados de investigação livres nos futuros Programas-Quadro.

Um dos modos de fornecer Acesso livre é publicar numa revista científica de Acesso livre. Estas revistas científicas disponibilizam gratuitamente os seus artigos financiando os seus serviços através de assinaturas de utilizadores e outros. Muitas delas financiam-se cobrando Taxas de processamento de artigos” (TPAs), embora nem todos os editores o façam, e existam enormes variações no custo atual da TPA.

Muitas revistas científicas tradicionais também oferecem a possibilidade de transformar em acesso livre artigos individuais, através do pagamento duma TPA (neste caso chama-se revistas científicas híbridas). Infelizmente, enquanto o artigo se torna livremente acessível, a revista científica como um todo permanece de acesso restrito.

As TPAs podem ser incluídas nos custos de financiamento da investigação, e assim o dinheiro é fornecido através do financiador da investigação, em vez do orçamento. Obviamente, a fonte inicial do dinheiro é frequentemente a mesma (fundos governamentais).

Existem um número crescente de revistas científicas de Acesso livre; estando representada a maioria das disciplinas. O Diretório de revistas científicas de Acesso livre contem uma visão geral abrangente, DOAJ.

Algumas revistas científicas de Acesso livre oferecem a opção de arquivar também os dados subjacentes do artigo que submeta, e existem até revistas científicas qua apenas publicam conjuntos de dados e os seus meta dados.

Um repositório de Acesso livre é uma base de dados ou arquivo virtual estabelecido para colecionar, disseminar e preservar resultados cientificos tais como artigos e conjuntos de dados e torna-los gratuitamente acessíveis. A ação de depositar material num repositório denomina-se (auto) arquivamento. Dependendo das preferências pessoais ou políticas dos editores, o autor pode tornar o seu trabalho acessível em Acesso livre ou limitá-lo (temporariamente). 

Os repositórios podem estar ou ligados a uma instituição ou departamento, ou ligados a uma área de investigação ou tópico, Repositórios Institucionais ou Repositórios por Tema.

Ao usar o serviço de depósito OpenAIRE será guiado através dos passos de deposito e também guiado se possível a um repositório apropriado (consulte a lista de repositórios compatíveis ). O OpenAIRE utiliza dados do Diretório de Repositórios de Acesso Livre, , OpenDOAR, e do Registro de Repositórios de Dados de Investigação, Re3data.

  • Repositórios por Tema são repositórios orientados para resultados de pesquisa de uma ou mais áreas de investigação bem definidas. Exemplos clássicos são ArXiv e Europe PubMed Central. Todos os investigadores a trabalhar em áreas podem usar os repositórios por Tema– independentemente das suas afiliações ou localização geográfica.
  • Repositórios Institucionais são repositórios mantidos e curados por instituições – frequentemente a sua biblioteca. Repositórios colecionam, curam e criam o output duma Instituiçãodisponível na Internet. Por regra, o depósito só é possível a investigadores afiliados à Instituição.
  • Um repositório de dados é um arquivo digital que coleciona e exibe conjuntos de dados e os seus meta dados. Muitos dos repositórios de dados também aceitam publicações subjacentes aos dados. Alguns exemplos são ZenodoDRYADFigshare.

 

Uma visão global de repositórios pode ser encontrada em ROAROpenDOARRe3data.

Por favor visite a Serviço de apoio do OpenAIRE  se se deparar com algum problema em encontrar o repositório melhor adaptado ao seu caso. Se não tiver um repositório onde depositar o seu artigo pode usar o Repositório Zenodo, sediado pelo CERN.

O Acesso livre não é uma transgressão dos direitos de autor (copyright), e é perfeitamente legal tornar o seu trabalho em Acesso livre.

Os autores têm os direitos de autor originais dos artigos que escrevem, e as editoras necessitam da sua autorização para publicar o artigo. Nos contratos autor-editora, as editoras muitas vezes pedem a transferência dos direitos de autor, por vezes até quando o artigo é submetido à revista pela primeira vez. No entanto, os autores podem escolher reter os seus direitos de autor e fornecer aos editores uma licença para publicação.

Mesmo quando um autor cedeu os seus direitos de autor, continua a ser possível fornecer acesso livre através da auto-arquivação do trabalho num repositório. O site Sherpa/RoMEO oferece uma visão geral de politicas oficiais de direitos de autor acerca da auto-arquivação.

Se quer saber mais sobre direitos de autor em relação a acesso livre:

Se tem outras questões relacionadas com Direito de Propriedade Intelectual

Serviço de Apoio DPI Europeu é a iniciativa oficial de serviço de Propriedade Intelectual que providencia conselho e informação gratuitos e de primeira-linha acerca de Propriedade Intelectual (PI) e Direitos de Propriedade Intelectual (DPI). Este Serviço destina-se a investigadores e a Pequenas-e-Médias empresas (PMEs) Europeias que participem em projetos de investigação colaborativos de financiamento Europeu. Além disso também se destina a PMEs envolvidas em processos de transferência de tecnologia.

Se necessita de ajuda com uma questão de DPI específica, ou pretende ser informado acerca dos últimos desenvolvimentos no universo de PI e I&D na Europa, ou se está interessado em formação na área de DPI – então o Serviço de Apoio DPI Europeu é o parceiro indicado a contactar.

Dados de Investigação podem ter formatos bastante diversos: tabelas, materiais audiovisuais, bases de dados, modelos-3D ou listas de resultados de grandes experiências. Os tamanhos podem variar desde um par de pequenos ficheiros relacionados com uma determinada publicação ( “prolongamento de dados de investigação”) a vastas coleções de resultados experimentais (“grandes dados”), que apenas podem ser processados usando programas especializados.

A necessidade de adequada documentação e descrição é óbvia, pois a reprodutibilidade é a condição chave quando se considera investigação científica.

Os repositórios especializados, tais como o Zenodo têm vindo a ser estabelecidos para recolher e preservar conjuntos de dados de todos os tipos, e quando possível ligá-los a publicações e projetos relacionados com a criação do conjunto. Recolher, descrever, licenciar e preservar dados demonstra ser um grande desafio, e a experiência com Gestão de Dados de Investigação rapidamente se tem tornado um bem útil e valioso muito procurado pelos investigadores e pessoal de apoio. 

A Fundação do conhecimento livre definiu dados Livres na Definição Aberta como sendo “legíveis por uma máquina, disponíveis em massa, e fornecidos num formato aberto (i.e., um formato com uma especificação publicada livremente disponível que não coloca restrições, monetárias ou outras, ao seu uso) ou, no mínimo, podem ser processadas com pelo menos uma ferramenta de sofware livre.”

Ver também: Tabela guia OpenAIRE de dados livres de investigação.

A ideia central que está por trás do Acesso Livre é que os resultados de investigação financiados publicamente devem estar disponíveis ao público – cidadãos, PMEs, investigadores noutras instituições, pessoal médico, jornalistas, professores…

O acesso ao conhecimento, informação e dados é essencial na educação superior e investigação; e mais geralmente para o progresso sustentado da sociedade. O acesso melhorado é a base da transferência de conhecimento (ensino), criação de conhecimento (investigação) e valorização do conhecimento (sociedade civil).

Fornecer Acesso Livre à investigação, aos artigos de investigação e aos conjuntos de dados (subjacentes), não é apenas benéfico para o público em geral, mas também para os investigadores: vários estudos demonstram que o acesso livre aumenta as citações. Também melhora a reprodutibilidade dos resultados da investigação - e poderá aumentar e criar novas e inesperadas audiências para o trabalho de investigação.  

Para mais informações sobre Acesso Livre visite a nossa página dedicada ao tema.

Informação útil: The Open Access Citation Advantage

O projeto FP7 OpenAIRE visava apoiar a implementação do acesso livre na Europa. Fornece os meios para promover e perceber a adoção em larga escala da Política do Acesso Livre, como estabelecida pela  Directriz ERC  do Concelho Científico para o Acesso Livre e o  Guia Acesso Livre lançado pela Comissão Europeia.

O seu sucessor OpenAIREplus estava direcionado para a ligação das publicações de investigação agregadas à investigação que acompanham e à informação sobre o projeto, conjuntos de dados e informação sobre ao autor.

O objetivo é disponibilizar no portal www.openaire.eu o máximo de resultados de investigação financiada pela EU (ficando assim disponíveis para todos). 

Estes resultados de investigação, quer sejam publicações, conjuntos de dados ou informação sobre projetos não estão apenas disponíveis através do portal do OpenAIRE, mas este também disponibiliza funcionalidades extra, tais como estatísticas, ferramentas de reportação e widgets – tornando o OpenAIRE um serviço de suporte útil a investigadores, coordenadores e gestores de projeto.

O OpenAIRE depende fortemente de uma estrutura descentralizada onde existe uma representação em todos os estados membros (os chamados Gabinetes Nacionais do Acesso Livre ou GNALs que podem dar conselho especializado. Se tem uma questão acerca duma questão específica de um país, pode contactá-los.

Os investigadores que trabalhem para projetos financiados Europeus podem participar depositando os resultados da sua investigação no seu próprio repositório, publicando em revistas científicas participantes ou depositando diretamente no repositório ZENODO do OpenAIRE – indicando o projeto a que pertencem nos meta dados.

As páginas dedicadas aos projetos são visíveis no portal OpenAIRE.

Os três principais objetivos do OpenAIRE são:

       i. Construir estruturas de suporte para investigadores que depositem publicações de investigação no FP7 através do estabelecimento do Helpdesk Europeu e a divulgação a todos os estados membros através da operação e colaboração do 27 National Open Access Desks (Gabinetes Nacionais de Acesso Livre);

     ii. Estabelecer e operar uma infraestrutura eletrónica para manusear artigos revistos por pares assim como outras formas de publicação importantes (artigos em pré-publicação ou publicações de conferências). Tal é alcançado através dum portal que é a entrada (gateway) para todos os serviços ao nível do usurário, providenciados pela e-infraestrutura estabelecida, incluindo o acesso (search and browse) a publicações científicas e outras funcionalidades de valor acrescentado (ferramentas de pós-edição, ferramentas de monitorização através da análise do documento e estatísticas de utilização);

   iii. Trabalhar com várias comunidades para explorar os requisitos, práticas, incentivos, fluxos de trabalho, modelos de dados e tecnologias para depositar, aceder e combinar conjuntos de dados de investigação de variadas formas em combinação com publicações de investigação.

50 Parceiros de todos os países europeus, e de outros países, trabalham no projeto OpenAIRE2020 que visa promover bolsas de estudo abertas e melhorar substancialmente a descoberta e a reutilização das publicações e dados de investigação. Esta iniciativa junta profissionais de bibliotecas de investigação, organizações de bolsas de estudo abertas, peritos em dados nacionais de e-infraestruturas e peritos de dados, investigadores em IT e Lei, demonstrando a natureza verdadeiramente colaborativa deste esforço pan-Europeu.

Uma rede de pessoas, representadas pelos Gabinetes Nacionais do Acesso Livre (GNALs), irá organizar atividades para recolher resultados de projetos H2020, e apoiar a gestão dos dados de investigação. A apoiar este alcance vasto está a plataforma OpenAIRE, a infraestrutura técnica vital para ligar e interconectar as grandes coleções de resultados de investigação pela Europa. Além deste valioso repositório (através da adoção de diretrizes comuns), o projeto irá criar fluxos de trabalho e serviços, e um carregamento de ficheiros simples para um repositório universal (para todos os temas) via Zenodo.

O OpenAIRE2020 irá apoiar a monitorização de resultados de investigação do H2020 e será a infraestrutura chave para relatar as publicações científicas do H2020 pois estará acoplado aos sistemas backend IT da CE.  

O Guia da CE para dados de Investigação irá ser apoiado através duma divulgação ao nível europeu das melhores práticas de gestão de dados e do Zenodo, o que irá facultar o armazenamento long-tail de dados.

Outras atividades incluirão: colaboração com financiadores para reforçar os serviços de análise da investigação da infraestrutura; um guia APC Gold OA para publicações FP7  com colaboração com o LIBER; novos métodos de revisão e publicação científica com o envolvimento do hypotheses.org; um estudo e um guia sobre indicadores científicos relacionados com o acesso livre com a assistência CWTS; estudos legais para investigação de questões de privacidade de dados relevantes para o Guia dos Dados Livres; alinhamento internacional com as redes relacionadas com o envolvimento do COAR.

Uma Licença de publicação é um acordo de publicação entre um autor e o seu editor. Ao contrário de outros acordos de publicação este não transfere os direitos de autor do autor para o editor. Em alternativa, o autor retém os seus direitos de autor e concede ao editor “uma licença única para reproduzir e transmitir o trabalho académico e alguns outros direitos necessários à publicação”. Permite ao autor reter o direito de arquivar os seus artigos num repositório de Acesso Livre. O JISC/SURF Copyright Toolbox fornece modelos de licença. Se, além disso o autor pretender garantir a concessão dos direitos de utilização e reutilização do seu trabalho, pode pedir ao editor para:

  • Limitar o termo de direitos exclusivos e libertar depois o trabalho sob uma licença Creative Commons.

Estas opções podem ser incluídas na Licença de Publicação. Vários editores já combinam a Licença de Publicação com a Licença Creative Common. Alguns editores pedem uma taxa de processamento do artigo para libertar o trabalho sob esses termos. Estas taxas podem se pagas pelo orçamento do projeto e são completamente elegíveis para reembolso dentro do período de tempo do projeto.

Se não tem acesso a um repositório compatível com o OpenAIRE, um repositório institucional ou por tema, o Zenodo, localizado no CERN, permitir-lhe-á depositar o seu artigo e/ou os seus dados de investigação. O Zenodo expõe os seus dados no OpenAIRE, ajudando assim os investigadores a cumprirem as recomendações das CU e do ERC (European Research Council) em relação ao Acesso Livre.

A Knowledge Cloud do AFINET ( e também o Zenodo) tem um modelo simples de unidades de dados. Um utilizador registado pode carregar um conjunto de ficheiros que se transformam num “depósito” de dados. O ficheiro é marcado com alguns metadados simples e é em seguida publicado na KC ( e no Zenodo) o que lhe atribui um DOI permanente.

Cada utilizador controla os seus “depósitos” durante o processo de carregamento. Cada depósito tem também uma página de “registo” que mostra os metadados.

Este acesso aos ficheiros é controlado pelo autor através da escolha de uma das quatros opções de direitos de acesso seguintes 

Modelo de Acesso

Descrição

'livre'

Todos os ficheiros podem ser imediatamente descarregados a partir do registo público.

'embargado'

Todos os ficheiros podem ser descarregados a partir do registo público após um período de embargo definido pelo autor.

'restrito'

Os outros utilizadores podem requerer o acesso aos ficheiros do autor original através do Zenodo.

'interdito'

Os outros utilizadores apenas podem ver os metadados do registo em causa.

A combinação destas opções significa que os utilizadores podem facilmente controlar o acesso aos seus dados ao nível de cada depósito individual. Ao contrário de uma Dropbox (ou outros serviços de ficheiros em nuvem), não existe o problema do arquivo ficar “cheio”.

Políticas

Todos os resultados de investigação dos vários campos da ciência são bem-vindos. No formulário de carregamento é possível escolher o tipo de ficheiro: publicações (livro, capítulo de livro, documento de conferência, artigo de revista científica, patente, artigo em pré-impressão, relatório, tese, nota técnica, relatórios técnicos, etc.), posters, apresentações, conjuntos de dados, imagens (figuras, gráficos, desenhos, diagramas, fotografias), software, vídeos/áudio e materiais interativos tais como aulas).

Por favor consulte mais informação sobre os Termos de Utilização e as Políticas do Zenodo.

Atualmente aceita-se até XX MB por conjunto de dados. No entanto não se pretende recusar casos de utilização maiores. Se pretende carregar ficheiros mais pesados, por favor, contacte-nos, e ajudaremos o melhor possível.

O que acontecerá aos meus ficheiros na eventualidade improvável do Zenodo fechar?

Sim, os seus ficheiros são armazenados na nossa Knowledge Cloud e no Centro de Dados CERN. Ambos os ficheiros de dados e metadados são mantidos em réplicas independentes e online. O CERN tem bastante conhecimento e experiência na construção e gestão de repositórios digitais e compromete-se a manter este centro de dados, à medida que ele cresce nos próximos 20 anos. Na eventualidade muito remota de que o Zenodo tenha que fechar comprometemo-nos a migrar todos os conteúdos para outros repositórios adequados. 

Técnico

Primeiro deve selecionar a Categoria do conteúdo a pesquisar. As categorias são as seguintes:

  1. Tudo (this is the default value)
  2. Publicações
  3. Dados de Investigação
  4. Projetos
  5. Pessoas
  6. Organizações
  7. Produtores de dados

Ao selecionar a subcategoria, tem a possibilidade de reduzir o número de resultados relevantes. Se não selecionar nenhuma informação relevante (Região, Espécies, Produto, Gado), a lista de resultados será completada no fim do processo de busca. 

A seguir escreva as suas palavras-chave, que podem ser encontradas no conteúdo, título das publicações, conjuntos de dados, etc, que procure.

Finalmente pressione o botão “Busca” e terá os resultados relevantes no site OpenAIRE, onde poderá filtrar o conjunto de resultados (como por exemplo, de acordo com a data).

Os conteúdos carregados (registos) são imediatamente indexados ao OpenAIRE, logo à Knowledge Cloud (i.e. deverá ser possível visualizar o seu registo dentro de minutos).

O conteúdo seguinte é indexado ao OpenAIRE:

  • Publicações:
    • Todas as publicações de Acesso Livre.
    • Publicações embargadas, restritas ou interditas, se estiverem ligadas a uma projeto.
  • Conjuntos de dados:
    • Todos. Note que o OpenAIRE apenas expõe conjuntos de dados se o conjunto de dados estiver a) ligado a uma publicação no OpenAIRE ou b) ligado a um projeto.

Para mais informações consulte  Política de Aquisição de Conteúdos do OpenAIRE

Se a sua publicação é um artigo científico, documento de conferência, etc pode carrega-la para um repositório temático ou institucional. 

Para carregar um ficheiro existem dois modos:

  1. Se você é um utilizador não avançado em informática...
  2. Se você é um utilizador avançado em informática...

Deverá enviar um email (com o seu documento anexado) para uma pessoa de um dos países que participam no projeto, ou ligada à EURAF.

Deverá incluir no email os parâmetros necessários (e recomendados ou opcionais), que descrevem o documento.

A pessoa que o receber verifica o documento e os parâmetros e de seguida…

  • Se o documento e os parâmetros estiverem corretos, o documento será carregado pela pessoa de contacto
  • Se não: irá receber da pessoa contactada também por email, um relatório de erro ou uma lista de erros;

Esta função está disponível para qualquer utilizador, seja registado ou não.

Deverá registar-se e entrar na Knowledge Cloud (login) para carregar o seu documento aqui.

Durante o processo de carregamento deverá selecionar os vários parâmetros importantes acerca do documento, por exemplo, autores, título, etc.

Haverá um responsável selecionado para rever o seu documento e parâmetros, e de seguida…

  • Se tudo estiver correto, o seu documento será carregado para o repositório pelo responsável
  • Se não, o responsável irá enviar-lhe um relatório/lista de erros.